fbpx

Tequila: A história da bebida que ganhou o mundo

Assim como nós brasileiros temos a cachaça como bebida característica da região, o México tem a tequila como tradição

A palavra “tequila” significa “montanha de fogo”. O nome vem de uma tribo indígena, os Tequilis, que habitavam a região de Tequila, no México, próximo de um vulcão. Produzida a partir do agave-azul, planta semelhante a um abacaxi gigante que só se desenvolve em terrenos de solo vulcânico e em climas áridos, a tequila é uma bebida alcoólica destilada, típica desse país da América do Norte. O agave-azul leva entre oito e doze anos para estar pronto para a produção, e são necessários sete quilos da planta para a produção de um litro de tequila. A planta cresce de maneira diferente, dependendo da região onde é cultivada. Quando em áreas altas, os agaves tendem a ser maiores e mais doces em aroma e sabor, os de áreas mais baixas, têm sabor e fragrância mais herbáceos. E o melhor lugar para se plantar é na região da cidade de Tequila, no estado mexicano de Jalisco, em cujo solo vulcânico vermelho mais de 300 milhões de pés da planta são colhidos todos os anos.

A produção da tequila começa com o processo de assar o centro do agave-azul, chamado de “piña”, durante mais de dois dias. Depois, essas piñas ficam esfriando por mais 14 horas antes de serem retiradas dos fornos. Esse é um procedimento necessário para converter as fibras em açúcar fermentável, a frutose. Depois dessa etapa, as piñas são moídas para extrair todo o açúcar, e o resultado é um rico líquido chamado “aguamiel”, ao qual é adicionada a levedura natural para fermentação, que quebra as moléculas do açúcar e o transforma em álcool.

O resultado é um vinho de agave que possui de 10 a 12% de teor alcoólico. Esse líquido ainda tem que ser destilado duas vezes, descartando seu início e fim para adquirir o melhor da destilação, resultando em uma tequila chamada “Prata”, que pode ser engarrafada ou maturada para produção dos diferentes tipos da bebida, de acordo com o tempo de maturação.

Tipos de tequila

– Blanco (Branco) ou Plata (Prata), engarrafada imediatamente ou até dois meses de maturação em barris de aço inoxidável ou carvalho neutro.

– Joven (“Jovem”) ou Oro (“Ouro”), uma mistura de Blanco e Reposado.

– Reposado (Descansado), engarrafada após dois meses, mas com menos de um ano de maturação em barris de carvalho de qualquer tamanho.

Añejo (Velho), envelhecimento de, no mínimo, um ano de maturação, mas menos de três, em barris de carvalho pequenos.

Extra Añejo (Extra Velho), envelhecido por pelo menos três anos (categoria estabelecida em 2006).

A tequila autêntica deve ter pelo menos 51% de açúcar provenientes do cozimento da parte central da planta e tem que ter sido fabricada por algum destes cinco estados mexicanos: Jalisco, Guanajuato, Michoacán, Tamaulipas e Nayarit, segundo as leis mexicanas.

Receita do barman

Mar Vermelho

Ingredientes:

– 50 ml de Tequila Don Júlio com infusão de chá de frutas silvestres

– 20 ml de licor Chambord

– 15 ml de xarope de siciliano com alecrim

– 10 ml suco de limão siciliano

– 5 folhas de sálvia

Preparo do xarope de siciliano com alecrim:

– 250 ml de suco de siciliano

– 250 ml de água mineral

– 500 gramas de açúcar refinado

– 5 galhos de alecrim.

Deixar tudo em fogo médio até ferver e então esperar esfriar. Coar.

Preparo e quantidades da infusão do chá de frutas silvestres:

A cada 100 ml de bebida, usar um sachê de chá. Deixar por cerca de 5 minutos e coar.

Modo de preparo:

Macerar dois gomos de limão siciliano com as folhas de sálvia, acrescentar os outros ingredientes na coqueteleira e bater.

Servir em copo old fashioned decorado com as fatias do limão siciliano e folhas de sálvia.

Vale lembrar

O México exige o direito internacional exclusivo da palavra “tequila” e ameaça processar produtores de destilados de agave-azul em outros países.

17 de Janeiro de 2019
Por Redação

Posts Relacionados

A natureza selvagem da Namíbia

Destino Certo|

A fotógrafa e viajante Cinthia Paranhos fez uma viagem para a Namíbia. Ela escolheu o país pelas paisagens inóspitas do deserto e a possibilidade de ver muitos animais selvagens.

Voluntariado na África

Destino Certo|

Lucia Caldas é apaixonada por viagens, fotografias, culturas e povos. Ela conta sobre sua viagem para a África e como o voluntariado impactou sua maneira de ser e de ver no mundo.

2018-12-18T14:41:31+00:00